02 março 2010

Sobrecarga de trabalho numa startup

Paul Graham foi bem feliz quando disse que você pode pensar numa startup como uma maneira de comprimir toda sua vida profissional em apenas alguns anos. Em vez de trabalhar em baixa intensidade por 40 anos, você trabalha muito além do seu limite por quatro.

Esta é exatamente a sensação de estou sentido agora. As horas passam numa velocidade descomunal e quando parece que o dia apenas começou já são quatro horas da tarde.

Não foi sempre assim, pois os primeiros meses a gente fica preso por diversos fatores alheios a nossa vontade, mas de uma hora para outra a coisa se inverte e uma tonelada de coisas só começam a acontecer na hora que a gente se envolve.

E como destravar a evolução da empresa? Contratar mais gente? Motivar as pessoas? Empoderá-las?

Tudo isso é necessário e nós trabalhamos duro para isso, mas o que estou percebendo que a situação é um moto contínuo, pois no momento que você consegue delegar atividades, imediatamente se percebe que o potencial da empresa aumenta e desafios maiores podem ser alcançados.

O tempo tem ficado escasso, mas vou ver se consigo voltar a manter um post por semana aqui no blog. Alguém tem algum comentário?

2 comentários:

Adriano disse...

Fábio,

Tenho me identificado com seus últimos posts. A OnCast está fazendo 4 anos e estou com 3 anos acumulados de férias. O curioso, e cruel ao mesmo tempo, sobre a sobrecarga é que além da quantidade de trabalho, trabalhamos realmente com quase todas as áreas do conhecimento humano. Ora precisamos atuar como psicólogos, ora gestores, engenheiros, vendedores, ora conselheiros, merketeiros, contadores, com linguagem/comunicação...

Mas este é apenas um detalhe!

O importante é não esperar apenas para curtir o sentimento de ter realizado, mas sim curtir agora o sentimento de estar realizando.

Keep walking!
Sucesso para vocês!

Adriano

Fabio Ferrari disse...

É isso mesmo Adriano. E concordo que psicólogo corporativo é provavelmente uma das funções mais exigidas. :-)

Grande abraço!